» » »

Serial Killer Lyrics

Serial Killer by Valery Larbaud  

CD  ·  DVD  ·  Sheet music


Serial Killer (Valete)
Edson, meu irmao de sangue, puto de 15 primaveras
Os bancos da praceta choram pela sua galera
Que chegara entranto, e trouxera uma convidada
Uma morena, gorda, XL, muito pesada
Supostamente nada, para Edson habituada a pequenas e magras
Mas aquela dama larga perturbo-lhe por isso ele hesitara
Comecaram na troca de sorrisos mal se conheceram
E com incentivos da galera, eles logo se envolveram
Sessao Hardcore, ela teve o performance de Pro
Edson jamais experenciara, algo melhor
Ela era imigrante ilegal, prostituta colombiana
Edson queria-a ver outra vez, agora s com grana
No dia seguinte foi busca-la, deixou 100 no proxeneta
Diz ela obscenidades la no canto da praceta
Ela e a buceta todos os dias, passou a ser rotina
Crescia a paixao de Edson por aquela chica latina
Clandestina man, Morena man, Cor de canela
Edson nao existia, a vida dela era ela
Juntava grana, acabava grana, queria mais grana
Para ter a sua colombiana comecou a furtar grana
(Refrao)
Edson nao vais por ai, isso e perigoso mano!
Edson por esse caminho niguem escapou mano!
Edson nao vais por ai, isso e perigoso mano!
Niguem escapou mano!
Edson nao vais por ai, isso e perigoso mano!
Edson por esse caminho niguem escapou mano!
Edson nao vais por ai, isso e perigoso mano!
Edson, ninguem escapou mano!
(Valete)
Furtava grana e tudo o que havia no cubiculo
Rolava em parques de estacionamento, fazendo guito
Drama comigo, todos os dias
Eu Dizia Edson cuidado man isso nao paixao feiticeiria
Pa ficares aqui em casa mano vais ter que deixa-la
Edson disse "ok" resolveu tentar esquece-la
Noites mal dormidas, semana aps semana
At que lhe apresentaram uma nova chica metadona
Um portuguesa magrinha de boa fama
Relacionaram-se uma semana, nao vale a pena ele nao a grama
Veio a nostalgia da sua latina americana
Metadona era fixe, mas nao era a mesma cama
S uma vez que se ama, outra vez em busca da sua dama
Ela era um de muitos bancos da puta colombiana
A magia dela era a forma como actuava na cama
Penetrava na veia dos manos at possuir a alma
pala dela o xunga arrecadava bueda grana
Eram muitos manos e manas atras dessa punana
s drama, vida sem chama enterrada na lama
s ma fama na zona piorava o panorama
Dividia comida na rua com caes e ratazanas
Tres vezes ao dia meu mano fodia aquela fulana
At que um dia...
At que um dia quando faziam sexo ela sprintou!
Edson nao aguentou, coracao parou!
Mas ela continuou, tranquila, e gritou "EU SOU SERIAL KILLER!!!"
Essa bitch ninguem tem pila
Overdose, heroina!
Nao houve DEUS nem MEDECINA
Edson morreu na rotina, mal acabou a stamina!
(Refrao) 1x



CD  ·  DVD  ·  Sheet music
Comments

comments powered by Disqus